Panamá, uma economia emergente

Como a União Europeia e as empresas europeias estão a aproveitar o crescimento e desenvolvimento deste pequeno país.

Pequeno, mas estrategicamente bem colocado - veja-se o seu Canal - e no top 5 das economias mundiais com melhor desempenho: assim se pode definir o Panamá, o país mais meridional da América Central, situado no istmo que liga as Américas do Norte e do Sul, e com cerca de 3,5 milhões de habitantes.

Não obstante o imenso Atlântico que nos separa, o Panamá tem relações comerciais com a Europa desde há muito tempo. A União Europeia é hoje o segundo maior parceiro comercial do Panamá, logo depois dos Estados Unidos.

Mas quando se fala de investimento estrangeiro, as empresas europeias ultrapassam as americanas. A ampliação do Canal do Panamá tem servido de montra para as empresas europeias, mesmo para as PME que produzem tecnologia de ponta. Mas há outros setores promissores para as empresas europeias: construção, energia, minas, telecomunicações, transportes, logística e no turismo.

Esta reportagem em português da Euronews aborda o potencial deste país e o seu relacionamento com a União Europeia e as empresas do Velho Continente. Veja-o abaixo.





Isabel Saint Malo
Vice-Presidente do Panamá

Já recebe a e-newsletter Santander Advance Empresas?
Para receber gratuitamente
as notícias que interessam
a quem tem negócios,
introduza um endereço de e-mail:

CONTEÚDO RELACIONADO

EVENTO

Santander fomenta oportunidades de negócio com o México no setor aeroespacial

EVENTO

Oportunidades de Investimento Chile - Argentina

Atualidade

Nova Linha Regressar Venezuela

Atualidade

Professores e investigadores podem usufruir do Programa de Bolsas Santander Investigação

Empresas TV

Ambiente Global de Mudança

Empresas TV

Senegal procura projeção em (e fora de) África