Tendências do Setor das TIC em Portugal com Impacto nas Empresas

A consultora IDC fez saber as suas previsões e evolução expectáveis para o mercado de tecnologias de informação em Portugal para 2014.

A IDC, empresa de market intelligence e de consultoria para os mercados das Tecnologias de Informação e Telecomunicações (TIC), apresentou um conjunto de previsões para a evolução do setor das TIC em Portugal, bem como as tendências que o caracterizarão nos meses e mesmo anos adiante, as quais acabarão por ter reflexo no restante do tecido empresarial no nosso país, pela oferta de produtos, soluções e serviços que se perspetivam. Neste vídeo, Gabriel Coimbra e Timóteo Figueiró, da IDC Portugal, apresentam essas tendências para o mercado nacional. Quais os eixos norteadores e tendências para o setor das TIC em Portugal?

Internacionalização das tecnológicas nacionais: as empresas tecnológicas nacionais vão continuar os processos de internacionalização de forma a ganhar escala, assim como as tecnológicas internacionais em Portugal vão continuar a procurar novas fontes de receita para além do mercado interno (exemplo disto é o investimento em serviços nearshore e centros de competência internacionais). Valor vai migrar para tecnologias da terceira plataforma, i.e., ligados a mobilidade, aos serviços cloud, às tecnologias sociais e de Big Data, que vão crescer a nível mundial e em Portugal.

Equipamentos móveis consolidam posição no acesso à informação: para além das vendas explosivas de smartphones, já se adquirem mais tablets do que PCs. Apesar da transformação verificada nos últimos anos, a grande mudança ainda está por vir. Em 2017, a IDC prevê que sejam vendidos em Portugal o dobro de tablets quando comparado com os PCs.

Adoção de serviços cloud computing já é uma realidade em Portugal: mais de 50% das médias e grandes organizações nacionais vão utilizar os serviços cloud em 2014 e o mercado de cloud pública e privada em Portugal atingirá os 90 milhões de euros em 2014.

Fornecedores cloud vão adquirir importância na transformação do centro de dados: apesar de residirem na cloud, as soluções de cloud computing, de mobilidade, sociais e de Big Data e analítica de negócio continuam dependentes de centros de dados físicos. E neste contexto assistimos a transformações em curso na fundação dos centros de dados com o objetivo de suportar as tecnologias da terceira plataforma. Os fornecedores de serviços de cloud computing vão ter um papel fundamental nesta transformação, nomeadamente através da disponibilidade de serviços de hosting de clouds privadas que poderão auxiliar as organizações na transição para esta nova arquitetura de computação.

Soluções Big Data no horizonte das organizações nacionais: a dimensão do universo digital - toda a informação digitalizada, criada, replicada e consumida no período de um ano - vai, em território nacional, crescer mais de 50% em 2014. Cerca de 25% das grandes organizações em Portugal desenvolvam projetos de Big Data e mais de 60% utiliza ferramentas de analítica de negócio. Grande parte destes projetos deverão ser iniciados pelo departamento de Marketing e Financeiro.

Social Business entra no mercado empresarial: as organizações nacionais começam a equacionar seriamente a utilização de ferramentas integradas de social business nos seus processos de negócio. Aumentar a notoriedade da empresa ou da marca e comunicar com clientes são as principais razões apontadas pelas organizações nacionais para a utilização das redes sociais.

Áreas de negócio vão impulsionar despesa com TI nos próximos anos: áreas de negócio, marketing e vendas passam a influenciar grande parte do investimento em TI das organizações nacionais (mais de 50%). O efeito conjugado da internacionalização das atividades e do crescente foco no cliente veio relançar o interesse pelas aplicações de negócio no território nacional (ERP, CRM, entre outras).

Internet of Things (IoT) adquire relevo: no território nacional, as estimativas apontam para mais de 68 milhões de equipamentos ligados em rede em 2020. Os terminais de pagamento, a segurança física das instalações e o rastreamento de veículos são as soluções com maior adoção no território nacional. Mas a IDC acredita que o potencial de crescimento é muito maior, basta olhar para alguns indicadores de equipamentos que podem criar valor ao estarem ligados em rede, como por exemplo os cerca de 10 milhões de contadores de água, luz e de gás natural, os cerca de 4 milhões de candeeiros de iluminação pública, as mais de 700 mil máquinas de vending, e os milhões de veículos em circulação, isto apenas para citar alguns.



Gabriel Coimbra e Timóteo Figueiró
IDC Portugal

Já recebe a e-newsletter Santander Advance Empresas?
Para receber gratuitamente
as notícias que interessam
a quem tem negócios,
introduza um endereço de e-mail:

CONTEÚDO RELACIONADO

Curso Online

3D Printing

Atualidade

Leiria: Empreendedorismo, reabilitação urbana e digital no segundo dia da Box

Atualidade

Braga: Primeiro dia da Box é esta quarta, 14 de novembro

Empresas TV

TIC em Portugal: 10 Grandes Tendências para 2015

Empresas TV

Por dentro do Android Wear